Lisboa - Portugal

  • Facebook - Black Circle
  • YouTube - Black Circle
  • Instagram - Black Circle

© Todos os direitos reservados

Coletivo Lagoa

criação clara.b

15 anos de corpo, dança e movimento no c.e.m - centro em movimento

 

PRÁTICAS DE AFINAÇÃO DA PRESENÇA

segundas e quintas-feiras 11h às 13h

Mariana Lemos

 

mover

no abanar das ancas

tocando

coração-cóccix

sempre

na dança

a poesia dos corpos

 

Afinar a presença dançando. Ativar o desejo. Encontrar prazer e liberdade. Percorrer as lágrimas do corpo. Surfar o arrebatamento musical e compor o gesto. Aprender a amar Lisboa. Tecer a delicadeza, trabalhar a resistência. Encontrar companhia para o mergulho. Viva a vertigem do desconhecido. Viva a poesia!

 

Nota de interesse: Proponho nessas aulas, a dança como prática de prazer e liberdade em conexão com a fruição que vem da escuta do movimento na música. Trabalhar a bacia como libertação do prazer no corpo que empodera o ser. A dança como uma prática de corpo que aproxima, afeta e transforma. A (ferramenta) técnica como uma habilidade que permite demoradamente e repetidamente, aceder ao corpo. Sentir, deixar aparecer o gesto, reconhecê-lo e, a partir daí, poder sugerir caminhos de movimentos a serem explorados, criados, transformados. Estas aulas emergem como encontros de pesquisa em dança, fazem-se em con-junto e acontecem em trânsito. Os convites são lançados e as propostas surgem do encontro com cada pessoa. É no feedback, na ressonância do convite, na sugestão e no acompanhar que acontece a dança. Neste sentido, exercitamos uma aula enquanto um espaço de criação. Aqui, não acontecem duas iguais. O plano de trabalho é um chão para percorrer o momento e não um guião fechado. A música está sempre por dentro, é uma paixão. E Lisboa também.

 

A Mariana é bailarina, uma professora apaixonada, encenadora, aprendiz de produtora e amante da música. Pesquisa incansavelmente (procurando encontrar sempre mais perguntas) O que pode um corpo que escuta (dançando)…  a si próprio, a música, a cidade, o outro, a parede, os sonhos, etc etc etc. Integra o c.e.m desde 2004.