Lisboa - Portugal

  • Facebook - Black Circle
  • YouTube - Black Circle
  • Instagram - Black Circle

© Todos os direitos reservados

Coletivo Lagoa

criação clara.b

Mutirão é uma mobilização artística, coletiva e colaborativa para a criação de um espetáculo para todas as idades. Um acontecimento aberto que se desenrola num jardim, à medida que construímos e desmanchamos uma casa-cena, com os restos e resíduos da própria instituição que nos acolhe: madeira, tubos de papel, telões de antigas exposições, tintas, tecidos. É uma ação-reflexão artística que põe as mãos na massa: pensar e trabalhar uma relação interdisciplinar entre a dança e a arquitetura. Neste trabalho as bailarinas também constroem a casa e os construtores também estão em cena, desafiando-nos a sair de lugares comuns. O público é convidado a fazer parte deste movimento, entrando por dentro do momento da criação. Mutirão abre literalmente portas, janelas, túneis, em pontos sensíveis da realidade contemporânea ambiental, habitacional e populacional. É uma forma em movimento, de sentir e pensar em comunidade. Assim, propomos a invenção de uma estética que aparece no decorrer do processo, valorizando os caminhos que traçam, moldam, entrelaçam e erguem, desde a raiz e passo a passo, mão a mão, corpo a corpo, uma ética do viver, do (re)construir e do crescer juntos. Com este envolvimento artístico, coletivo e afetivo, trazemos à tona a urgência de construir em conjunto: com o que se tem, com o que se pode, com quem está. É a primeira criação colaborativa do coletivo Lagoa.

Direção de projeto: Mariana Lemos 

Criação: Mariana Lemos, Sara Jaleco 

Assistência de encenação: Ainhoa Vidal 

Performance: Márcia Lança, Mariana Lemos, Sara Jaleco Direção de construção e criação Etienne Gentil 

Projeto arquitetónico e criação: Eleonore Labattut, Simon Deprez 

Produção: Flávia Diab, Lysandra Domingues 

Captação de recursos, apoio à produção e assessoria de imprensa: Bernardo Marques 

Arte gráfica: Catherine Boutaud 

Apoios: Fundação GDA 

Agradecimentos: Catarina Pinto, c.e.m – centro em movimento, Edgar Raposo e Groovie Records, Joana Pupo, Sophie Barbara